Home // Archive by category "Psiquiatria"

Autismo e toque (não TOC!)

Autism may stem—in part—from a disordered sense of touch

A disrupted sense of touch causes autismlike behaviors in mice.

ploughmann/iStock

Autism may stem—in part—from a disordered sense of touch

Sociability may be skin deep. The social impairments and high anxiety seen in people with autism or related disorders may be partly due to a disruption in the nerves of the skin that sense touch, a new study in mice suggests.

Autism spectrum disorders are primarily thought of as disorders of the brain, generally characterized by repetitive behaviors and deficits in communication skills and social interaction. But a majority of people with autism spectrum disorders also have an altered tactile sense; they are often hypersensitive to light touch and can be overwhelmed by certain textures. “They tend to be very wary of social touch [like a hug or handshake], or if they go outside and feel a gust of wind, it can be very unnerving,” says neuroscientist Lauren Orefice from Harvard Medical School in Boston.

An appreciation for this sensory aspect of autism has grown in recent years. The newest version of psychiatry’s bible, the Diagnostic and Statistical Manual of Mental Disorders, includes the sensory abnormalities of autism as core features of the disease. “That was a big nod and a recognition that this is a really important aspect of autism,” says Kevin Pelphrey, a cognitive neuroscientist at The George Washington University in Washington, D.C., who was not involved in the work.
Read more [+]

Atentado em boate é o pior nos EUA desde o 11 de Setembro

Atentado em boate é o pior nos EUA desde o 11 de Setembro; veja lista

DE SÃO PAULO

O atentado na boate Pulse, em Orlando, foi o pior da ataque terrorista desde o 11 de setembro nos Estados Unidos. Saiba quais foram os maiores e mais recentes ataques a tiros no país.

Read more [+]

Sobre a seleção sexual em favor dos machos beta (e gama?)

 

download

Mais uma teoria de barzinho que poderia ser verdadeira:

A pergunta é: se os machos alfa são favorecidos pela evolução, porque não somos todos machos alfa (na verdade eles são uma minoria da população masculina).

Tenho duas hipóteses complementares sobre isso, todas baseadas no poder de escolha das mulheres.

Primeiro, parece ser muito mais provável que um macho alfa seja violento com sua mulher (porque eles são mais violentos em geral). Assim, mesmo que as mulheres possam sentir desejo por um macho alfa, se forem um pouco mais racionais irão preferir um macho beta (ou gama) que cuide bem delas e dos  filhotes, seja gentil, etc (hoje é o “Dia da Gentileza”, 13/novembro).

Segundo, isso tem a ver com o processo de neotenia que as mulheres impuseram aos homens (neotenia é o que aconteceu durante a domesticação do cão a partir do lobo – favorecimento de caracteres infantis).

Ou seja, se a mulher escolher um macho mais infantil (que não é macho alfa, claro!) , ela terá mais domínio sobre ele, ao fazer o papel de mãe dele e não apenas de parceira sexual. Mulheres maternais são atraentes para os homens (eles gostam de carinho e serem cuidados, comidinha na boca etc) e essa é a mesma raiz do Complexo de Édipo. Na verdade é uma simbiose mutualística, a mulher domina o esposo=filho e o macho é melhor tratado pela esposa=mãe. Essa teoria explica porque os homens (em geral) são bem menos maduros que as mulheres (especialmente na adolescência) e os marmanjos parecem apenas mudar de brinquedos quando crescem:  carrinho vira carrão, jogo de bola vira futebol, brincadeiras de luta e guerra vira filmes de ação e Star Wars.

É claro que, como toda hipótese de psicologia evolucionária, esta sempre tem suas exceções.

Vale notar que o machismo e o patriarcalismo visam primeiramente retirar esse poder de seleção sexual das mulheres (via casamentos arranjados) , a fim de favorecer os machos alfa. Com o fim do patriarcalismo me parece que os machos beta e gama serão cada vez mais favorecidos (embora algumas mulheres reclamem que já não se fazem homens como antigamente, tipo Aragorn e Legolas da Sociedade do Anel). Mas vale lembrar que eles tiveram poucos filhos em comparação com os machos gama Hobbits.

 

 

A Perturbadora Persistência do Determinismo Social

Apresentação1

 

Um texto de 2001 que não perdeu a atualidade. Preciso apenas dar um upgrade nas referências.

O dowload pode ser feito aqui.