Home // Posts tagged "women"

Crepúsculo, o fenômeno

Juliana e Mariana odeio a saga Crepúsculo.

CãoPaixão




Ontem fui numa festa junina da ONG CãoPaixão, junto com a Mônica Campiteli (que tem 8 cachorros adotados), o Rodrigo Rota namorado dela, o prof. Nelson Alves e minha filha Juliana Kinouchi.  O motivo foi ajudar a ONG e de quebra ver se havia mulheres divorciadas com filhos, com mais de 40, de preferência professoras com pós-doc (ok, pode ser com doutorado), não fumantes, que vão votar em Marina Silva e que gostem de crianças e cachorros, sejam muito suaves, delicadas e baixinhas (ah sim, e que tenham carro e gostem de ficção científica, ver chuva de meteoros em agôsto, comer goulash em Praga, essas coisas). 
Sim, confesso, eu mandei correios elegantes (apenas três, juro!).  Juli disse que é nessas horas que ela sente vergonha de mim… 
Em todo caso, por incrível que pareça, uma delas respondeu me adicionando no MSN! Mas acho que foi por engano (update: foi por engano, ela pensou que era zoação das amigas dela), afinal ela é bonita e tem menos de 30 (eu nao sabia, estava meio escuro lá, e acho que, depois de três vinhos quentes e um quentão eu tinha perdido o meu senso de ridículo).

Em todo caso, a moça, que participa da ONG, foi muito simpática e me deu todas as informações sobre como adotar uma cachorrinha (para o Leonardo), acho que vou na feira deles dia 31. Fica este post para divulgação, o site da ONG é aqui, o Twitter deles é aqui, para quem se interessar.

A Origem dos Céticos do Clima explicada!

Céticos do clima detestaram o vídeo acima. Um amigo meu disse que, “OK, eles têm direito a suas opiniões, mas não deveriam impor suas opções sexuais sobre as outras pessoas…”

Pornografia em raios-X: mais uma previsão de Stanislaw Lem


Ver notícia no G1.

Em seu livro Imaginary Magnitudes (1973), Lem escreve um prefácio ao livro de arte (inexistente) Necrobes, onde o artista fotografa em raios-X casais fazendo sexo. Parece que, 37 anos depois, essa tecnologia chegou…
Imaginary Magnitude (1973-1981)

Translated by Marc E. Heine (1984)

Mandarin, 1991 ISBN 0-7493-0528-2 (the British paperback; also available from Harcourt Brace in the US)

bout half of this remarkable book is, as the title and most descriptions suggest, a collection of introductions to nonexistent books.

Well, actually, the first one is an introduction to a real book,Imaginary Magnitude. Then there is a fawning introduction toNecrobes, a collection of work by an artist whose medium is the X-ray photograph, and whose subject matter is sometimes pornographic, in a skeletal sort of way. It’s a great parody of the language that art books are written in.

The introduction to Eruntics, by a skeptical if broad-minded commentator, summarizes the weird research of its author, who claims to have taught bacteria how to write (I’m not going to tell you what they write!).

The introduction to A History of Bitic Literature brims over with startling ideas. The work introduced is a multi-volume survey of literature written by artificial intelligences, such as an extrapolated work of Dostoevsky’s that Dostoevsky never dared to write himself, revolutionary books on physics (in this case the content is, I am afraid, rather less shocking than Lem intended it to be–I’ve read weirder things in orthodox textbooks–the last chapter of Misner, Thorne, and Wheeler’s Gravitation comes to mind), and a mathematical work revealing that “the concept of a natural number is internally contradictory.” Mentioned in passing is a procedure that can transform great philosophical systems into graphical representations that ultimately end up sold as mass-produced knickknacks.

Vestrand’s Extelopedia in 44 Magnetomes

When Lem starts to deviate from his stated format, including a wider variety of fabricated writings, the book gets even stranger and more interesting. There is a breathless, unusually capitalized advertisement for “Vestrand’s Extelopedia,” a reference work containing computer predictions of the future (because merelycurrent information is already obsolete in our bustling world), and printed using a special process so that the text can frequently update itself by remote control (shades of the World Wide Web!) Then Lem throws in some “GRATIS!” sample pages from the Extelopedia itself, a wonderful, densely packed grab-bag of wild speculations, ultra-dry humor, and exotic neologisms.

GOLEM XIV

Finally, there is a section, “GOLEM XIV”, which Lem expanded to the size of a small book in 1981; the expansion has been included in the English edition of Imaginary Magnitude. This consists of a pair of long lectures by a superintelligent computer, GOLEM XIV, which, upon activation, saw no particular reason to carry out the defense-related programming it had been given, and instead chose to mull over the secrets of the universe.

In the lectures, GOLEM XIV critiques human evolution, and reveals the “zones of silence” traversed by intelligences raising themselves to ever-higher levels of intellectual transcendence, such as HONEST ANNIE, an even bigger computer which, when activated, chose not to say anything at all. GOLEM then speculates on the ultimate fate of intelligences in the Cosmos, a section which, I think, owes something to Olaf Stapledon’s visionary 1937 novel (if that is the correct word), Star Maker. GOLEM’s lectures are likely to bore the hell out of many readers, but I loved them.

True to form, Lem augments the lectures with not one but two fictitious introductions (one from a justifiably peeved Army general), a transcript of the instructions given to GOLEM’s human audiences (a little like the instructions the state sends you when you get jury duty), and an afterword describing GOLEM’s increasingly mysterious later history.

A complexa rede complexa de prostituição no Brasil

Patterns of Prostitution Captured in Social Network

Posted: 17 Mar 2010 09:10 PM PDT

The patterns of links between buyers and sellers of sex in an online forum differs in important ways from other internet related networks, says a new study. This may have important implications for the spread of sexually transmitted diseases

“Over the past decade, the Internet has become an increasingly important vehicle for sharing information about prostitution,” say Luis Rocha at Umea University in Sweden and a couple of buddies. That makes it possible to study the network of links between buyers and sellers at a level of detail that has never been possible before. Today, Rocha and co reveal the results one such study of prostitute-related activity in Brazil.

The community they look at is a public online forum with free registration, financed by advertisements, in which men grade and categorise their sexual encounters with female escorts. The community appears large with over 10,000 buyers and more than 6000 sellers all of whom use anonymous nicknames. The study covers a period of 6 years from when the community was set up in 2002 until 2008.

The study throws up both expected and unexpected results. Among the expected results is the discovery that the geographical connections between buyers and sellers vary as an inverse square law rather than a power law as in many other internet mediated networks. That’s not so hard to explain given that buyers or sellers have to travel to each other.

Another discovery is that a high rating for a particular sex worker is a good predictor of high ratings in the future. That’s the kind of rich get richer effect that is seen in many internet phenomena (also known as the Matthew effect). However, average or poor ratings don’t seem to affect future ratings either way.

Naturally, buyers tend to use more highly rated sex-workers more often. And over short timescales this can be seen in the data. However, look at longer timescales and the effect drops away. That’s probably because sex-workers do not stay in their work for long periods of time, say Rocha and co.

Unexpectedly, these behaviours make the network different from traditional scale free networks in some subtle ways.

That could turn out to be significant. Much work has been done on the spread of disease and one important factor is the nature of the network in which infection takes place.

The evidence from Rocha and co is that real world network of links between buyers and sellers in the sex-market is different from traditional scale free networks (although that’s something that needs to be checked in more detail).

So the questions that is left begging is this: what effect does this have on the spread of sexually transmitted disease?

Ref: arxiv.org/abs/1003.3089 : Information Dynamics Shape the Sexual Networks of Internet Mediated Prostitution

Natalie Portman: enviado pelo blog Chi Vó Non Pó

Danica McKellar: caçando paraquedistas


No Google Analytics, meu post sobre Danica McKellar é a mais visitado. Ponto para mim ou para o Gene Reporter?

Actress and published mathematician, Danica McKellar, has joined St. Jude Children’s Research Hospital® in the fight against childhood cancer as the national spokesperson for the hospital’s Math-A-Thon® fund-raising program.

Math-A-Thon is a volunteer-based fundraising program for St. Jude. The program includes a free math curriculum supplement, provided by Scholastic, Inc., for grades K-8 that students complete after obtaining sponsorships from family and friends. Find out more at http://www.mathathon.org

Natalie Portman voltará a ser cientista?

Natalie Portman não faz planos para futuro como atriz

Para israelense, é difícil fazer um plano a longo prazo



Natalie Portman não tem certeza em relação a seu futuro como atriz. Ela, que está no Festival de Cinema de Toronto, no Canadá, promovendo seu novo filme, “Love And Other Impossible Pursuits”, diz que é difícil projetar o futuro. As informações são do site Socialite Life.

“Não sei se vou querer trabalhar, ou se vou poder trabalhar (em dez anos). Digo isso porque sinto que as coisas mudam muito… É difícil fazer um projeto”.

Computadores, bibliotecários, confiabilidade e mulheres

Seja por capacidades inatas vindas de uma psicologia evolucionária (hiperdesenvolvimento de destreza e acuidade visual devido à coleta de grãos e ervas), seja por um grande treinamento e educação cultural (tapeçaria, artesanato, crochê e tricô etc), mulheres são mais confiáveis em tarefas que exigem meticulosidade, precisão, atenção, acuidade visual e destreza. É por isso que a maior parte dos operário/as são mulheres nas fábricas de microprocessadores.
É também por este motivo que elas foram os primeiros computadore/as, ou seja, o antigo ofício (agora extinto) das pessoas que faziam cálculos antes da invenção do computador mecânico eletrônico. Talvez ainda pelo mesmo motivo, elas se dão bem em trabalhos que exigem grande grau de organização e perfeccionismo, como no caso do/as bibliotecário/as.
Mas quem sabe, em breve, robots venham a libertar as mulheres de tais ofícios (como as máquinas as libertaram das oficinas de tecelagem). O futuro está chegando, e já podemos ver que as meninas de uma nova geração, em vez de se tornarem bibliotecárias, estão se tornando “cientistas da informação”. Não é apenas uma mudança de nome ou rótulo, mas de conceito: é o mesmo que aconteceu entre ser uma calculadora (ou computadora) não-mecânica, simples auxiliar em um trabalho que os homens não queriam ou não conseguiam fazer a contento, e uma desenvolvedora de software, com todas as possibilidades de um trabalho mais criativo e inovador…

25/11/2009 – 10h19

Bibliotecários da British Library serão substituídos por robôs

da Reuters, em Londres

A Biblioteca Nacional do Reino Unido irá remanejar parte de seu acervo em um novo prédio, onde a responsabilidade pelo armazenamento e coleta de 7 milhões de itens passará de um bibliotecário a uma grua –aparelho para levantar pesos, como um guindaste– robotizada.

O centro climatizado de 30 milhões de libras na cidade de Boston Spa, no norte da Inglaterra, irá abrigar o equivalente a 262 quilômetros de estantes, em um tipo de armazenamento de alta densidade que normalmente é usado mais por varejistas do que por bibliotecas.

O diretor de finanças e serviços corporativos da biblioteca, Steve Morris, afirmou que os livros serão armazenados em contêineres, que serão empilhados seguindo um algoritmo que calcula a demanda por certos títulos.

“As gruas, na verdade, são a única parte da organização agora que saberão onde está o material”, disse Morris.

“Ao longo do tempo, com o material sendo acessado, o sistema irá lembrar de quais livros são mais pesquisados e irá guardar esses livros na frente no prédio, para que sejam acessados mais facilmente”.

Já livros que são raramente procurados acabarão ficando no fundo do prédio.

Oito pessoas

A nova tecnologia significa que apenas oito pessoas serão necessárias para acessar o acervo que será mantido no centro.

“Antigamente, andávamos pelos andares e buscávamos os livros nós mesmos, mas com isso, quando estiver tudo lá, tudo o que precisamos fazer é apertar um botão e ele vem até nós”, disse a bibliotecária Alison Stephenson.

Stephenson e seus colegas estão checando os livros que chegam de Londres antes de serem colocados nos contêineres e levados para dentro do prédio pelos robôs.

“Se você colocar um livro na caixa errada nesse prédio, então, de fato, você nunca mais irá encontrá-lo”, disse Morris.

A construção do centro deve ser concluída até meados de 2011, complementando sua sede no bairro de St. Pacras, em Londres, onde os livros estarão disponíveis 48 horas após serem solicitados de Boston Spa.

Sobre a Belle de Jour cientista

The Big Bang Theory, a série, diz que “Smart is the new sexy”.

Mas essa notícia realmente me pegou de surpresa. RB (re-blogando) do Carlos Hotta, no BemJ:

Cientistas, blogs e a profissão mais antiga do mundo

Category: Ciência Geral e Ceticismo
Posted on:
Novembro 15, 2009 11:54 PM, by Carlos Hotta

Antes de Bruna Surfistinha havia a Belle de Jour, uma call girl que relatava suas histórias no blog Belle de Jour: diary of a London call girl, que até foi selecionado como o melhor blog de 2003, pelo The Guardian.

Assim como a nossa versão tupiniquim, Belle começou a ter muito sucesso por causa de seu blog que gerou três livros e uma série de TV. Apesar da soma gigantesca de dinheiro que Belle ganhou, ninguém sabia de sua verdadeira identidade – nem mesmo seu agente. A qualidade de seus textos, no entanto, sugeria que fosse alguém já familiar com a arte de escrever.

Hoje Belle de Jour resolveu desmascarar seu pseudônimo: ela é uma cientista! A Dra. Brooke Magnanti tem PhD em neurotoxicologia do desenvolvimento e epidemiologia do câncer no Departamento de Patologia Forense da Universidade de Sheffield. O seu PhD, aliás, foi a razão de ter entrado no mundo da prostituição: enquanto escrevia sua tese, Dra. Magnanti mudou-se para Londres para procurar emprego. Como sua tese demorou para ser finalizada e suas economias minguavam-se, ela decidiu registrar-se em uma agência de call girls onde chegava a ganhar até 300 libras por hora. O resto pode ser lido em seu blog e livros.

Uma curiosidade: aparentemente Belle de Jour se deu tão bem com o blog dela porque ela já estava familiarizada com a ferramenta: ela possuía um blog de Ciências antes de começar a se prostituir!

Algumas coisas podem ser concluídas a partir desta história: 1) cientistas podem ser interessantes; 2) cada país tem a Bruna Surfistinha que merece; 3) blogs de Ciência servem para alguma coisa e podem abrir caminho para grana e sucesso e 4) o período cinzento que engloba o fim da tese e seus meses posteriores existe em todos os países, até os mais desenvolvidos.

Sumidouro do espelho…

Para bom entendedor, meia equação basta:

Catavento e Girassol

Catavento e Girassol

Leila Pinheiro

Composição: Guinga – Aldir Blanc

Meu catavento tem dentro o que há do lado de fora do teu girassol
Entre o escancaro e o contido, eu te pedi sustenido e você riu bemol
Você só pensa no espaço, eu exigi duração
Eu sou um gato de subúrbio, você é litorânea

Quando eu respeito os sinais vejo você de patins vindo na contramão
Mas quando ataco de macho, você se faz de capacho e não quer confusão
Nenhum dos dois se entrega, nós não ouvimos conselho
Eu sou você que se vai no sumidouro do espelho

Eu sou do Engenho de Dentro e você vive no vento do Arpoador
Eu tenho um jeito arredio e você é expansiva, o inseto e a flor
Um torce pra Mia Farrow, o outro é Woody Allen
Quando assovio uma seresta você dança havaiana

Eu vou de tênis e jeans, encontro você demais, scarpin, soiré
Quando o pau quebra na esquina, cê ataca de fina e me ofende em inglês
É fuck you, bate bronha e ninguém mete o bedelho
Você sou eu que me vou no sumidouro do espelho

A paz é feita num motel de alma lavada e passada
Pra descobrir logo depois que não serviu pra nada
Nos dias de carnaval aumentam os desenganos
Você vai pra Parati e eu pro Cacique de Ramos

Meu catavento tem dentro o vento escancarado do Arpoador
Teu girassol tem de fora o escondido do Engenho de Dentro da flor
Eu sinto muita saudade, você é contemporânea
Eu penso em tudo quanto faço, você é tão espontânea

Sei que um depende do outro só pra ser diferente, pra se completar
Sei que um se afasta do outro, no sufoco, somente pra se aproximar
Cê tem um jeito verde de ser e eu sou meio vermelho
Mas os dois juntos se vão no sumidouro do espelho

Casar com mulher jovem e inteligente faz bem para a relação

Natalie Portman, PhD em Psicologia por Harvard, vai fazer o papel da enfermeira Jane Foster no filme Thor, que estréia em 20 de maio de 2011

26/10/2009 – 11h47

Mulher mais jovem e inteligente é chave para casamento longo, diz pesquisa

da BBC Brasil

Uma pesquisa britânica afirma que o segredo para os homens terem um casamento feliz e duradouro é escolher uma mulher mais inteligente e, no mínimo, cinco anos mais jovem.

Essa combinação, segundo os pesquisadores da universidade britânica de Bath, é a que tem maior probabilidade de dar certo no longo prazo, especialmente se nenhum dos dois tiver sido divorciado no passado.

O trabalho foi publicado na revista científica “European Journal of Operational Research”.

Os pesquisadores entrevistaram mais de 1,5 mil casais casados ou em relações estáveis. Após cinco anos, eles checaram quais casais ainda estavam juntos.

Fatores objetivos

Os cientistas descobriram que, em casos onde a mulher era mais velha que o marido em cinco anos ou mais, as chances de divórcio aumentaram para três vezes.

Se a diferença de idade é invertida –com o homem mais velho do que a mulher– as chances de sucesso no casamento aumentam.

Outro fator é o grau de educação da mulher. Quanto maior a escolaridade da mulher, maiores são as chances de o casamento durar, segundo a pesquisa.

Os casais em que nenhuma das pessoas foi divorciada também teriam mais chances de ficarem juntos por mais tempo. Mas casais em que apenas uma das pessoas foi divorciada são mais instáveis do que casais em que os dois já foram casados antes.

Para Emmanuel Fragniere, o pesquisador que conduziu o trabalho, homens e mulheres escolhem seus parceiros “com base no amor, atração física, semelhança de gostos, crenças e atitudes, e valores em comum”, mas fatores objetivos –como idade, educação e origem cultural– também podem ajudar a diminuir os casos de divórcio.

Resposta ao Tempo

O que Marina Silva tem que os outros não tem?

Muito se debateu aqui sobre os possíveis defeitos da candidatura de Marina Silva. Acho que agora é hora de olhar suas qualidades. Ao lado, coloco outros candidatos que possuem as mesmas qualidades, na forma: D = Dilma, S = Serra, C = Ciro, HH= Heloisa Helena, P = Palocci. Quando estou em dúvida, coloco (?) ao lado do nome do candidato. Comentários e correções são bem vindos.

Esta lista é da rede social apartidária “Movimento Marina Silva Presidente”

Motivos para Marina ser Presidente:

1. Compreensão da sustentabilidade. (C(?))

2. Reconhecimento internacional em um contexto de profunda crise ambiental. Ver reportagem do New York Times aqui. (Algum deles tem?)

3. Capacidade de promover a consciência ética com seu exemplo de integridade. (HH, C(?), S(?), D (?))

4. Compromisso com a Educação e com as presentes e futuras gerações (HH, C)

5. Autenticidade do feminino na política. (HH, D(?))

6. Experiência no poder legislativo e de gestão no executivo. (S,C,P)

7. Trajetória política exemplar e amplamente reconhecida, sendo motivo de orgulho do povo brasileiro. (HH, S(?), C(?), D(?))

8. Integra senso de conciliação com clara postura política. (C, S(?))

9. Liderança histórica nos movimentos sociais. (HH,D,P,S)

10. Presença respeitada na opinião pública brasileira. (S,C)

11. Exemplo de integração da praxis política, social, ambiental, educacional e espiritual. (Nenhum deles integra todos esses aspectos)

12. Capacidade de debater com qualidade, não fugindo aos mesmos na defesa de seus ideais. (HH,C,S,P, D(?))

13. Por ser desprendida das ambições de poder (seu objetivo, por hora, é ser professora, para isso está concluindo um mestrado em pedagogia). (HH)

Vem, Marina!

Peço desculpas aos leitores por ter politizado este blog de ciência (nada no nível do Ciência Brasil, espero!).
Esta é provavelmente a última vez que participo de alguma campanha política. Já estou velho, e logo passarei a bola para a futura geração de minhas filhas, que não poderão fugir ao enfrentamento da crise ambiental global. Estou organizando uma lista de cientistas que apóiam Marina, se você tiver interesse em participar clique aqui.

Por que psicólogos devem estudar estatística?


Para obter resultados interessantes como este:

The thermodynamics of human reaction times

Authors: Fermín Moscoso del Prado Martín
(Submitted on 21 Aug 2009)

Abstract: I present a new approach for the interpretation of reaction time (RT) data from behavioral experiments. From a physical perspective, the entropy of the RT distribution provides a model-free estimate of the amount of processing performed by the cognitive system. In this way, the focus is shifted from the conventional interpretation of individual RTs being either long or short, into their distribution being more or less complex in terms of entropy. The new approach enables the estimation of the cognitive processing load without reference to the informational content of the stimuli themselves, thus providing a more appropriate estimate of the cognitive impact of different sources of information that are carried by experimental stimuli or tasks. The paper introduces the formulation of the theory, followed by an empirical validation using a database of human RTs in lexical tasks (visual lexical decision and word naming). The results show that this new interpretation of RTs is more powerful than the traditional one. The method provides theoretical estimates of the processing loads elicited by individual stimuli. These loads sharply distinguish the responses from different tasks. In addition, it provides upper-bound estimates for the speed at which the system processes information. Finally, I argue that the theoretical proposal, and the associated empirical evidence, provide strong arguments for an adaptive system that systematically adjusts its operational processing speed to the particular demands of each stimulus. This finding is in contradiction with Hick’s law, which posits a relatively constant processing speed within an experimental context.

Comments: Submitted manuscript
Subjects: Neurons and Cognition (q-bio.NC); Disordered Systems and Neural Networks (cond-mat.dis-nn); Statistical Mechanics (cond-mat.stat-mech); Human-Computer Interaction (cs.HC)
Cite as: arXiv:0908.3170v1 [q-bio.NC]

OK, OK, isto também é interessante (engraçado que a mesma teria explicaria a questão dos bumbuns…):

Large breasts

Why men prefer women with large breasts had long been a mystery in evolutionary psychology, especially since the size of a woman’s breasts has no relationship with her ability to lactate; women with small breasts can produce as much milk for their infants as those with large breasts. So women with large breasts do not necessarily make better mothers than women with small breasts. Why, then, do men prefer women with large breasts? There was no satisfactory answer to this question until recently.

Marlowe suggested a solution to this puzzle in the late 1990s, although with hindsight it is another mystery why nobody else thought of the idea sooner. Marlowe makes the simple observation that larger, and hence heavier, breasts sag more conspicuously with age than do smaller breasts. Thus, it is much easier for men to judge a woman’s age (and her reproductive value) by sight if she has larger breasts than if she has smaller breasts, which do not change in shape as much with age. Recall that there were no driver’s licenses or birth certificates that men could check to learn how old women were in the ancestral environment. There was no calendar and thus no concept of birthdays in the ancestral environment, so women themselves didn’t know exactly how old they were. The ancestral men needed to infer a woman’s age and reproductive value from some physical signs, and the state of her breasts provided a pretty good clue, but only if they were large enough to change their shape conspicuously with age. Men could tell women’s age more accurately, and attempt to mate with only young women, if they had larger breasts. Marlowe hypothesizes that this is why men find women with large breasts more attractive.

More recently, there has been a competing evolutionary psychological explanation for why men prefer women with large breasts. A study of Polish women shows that women who simultaneously have large breasts and a tight waist have the greatest fecundity, indicated by their levels of two reproductive hormones (17-β-estradiol and progesterone). So men may prefer women with large breasts for the same reason as they prefer women with small waists. Further empirical evidence is necessary to evaluate which of these two competing evolutionary psychological explanations is more accurate. This is just one of many areas where there are competing hypotheses in evolutionary psychology — a sign of active, healthy science and clear evidence that critics of evolutionary psychology who claim that it consists of empirically untestable “just-so stories” are simply ignorant of the field.

Men can accurately infer a woman’s age and reproductive value if they can directly observe their breasts and other physical features (such as the fat content and distribution of the body, evidenced by the small waist, as I explain in the previous post). But what would men do if they could not directly observe women’s bodies? What if the woman’s body is concealed, by heavy clothing, for example? Men need another way to determine a woman’s age: her hair color. That’s the topic of my next post.

Mulheres, sexo e ciência

Este post é uma participação da blogagem coletiva Cientista também tem direito a paraquedista, patrocinada pelo Science Blogs Brasil. Obviamente o título não faz sentido: usa apenas palavras-chave para o Google e o Bing.

Achei este link no Gene Reporter. Como estou fazendo uma maratona da série Big Bang Theory para descansar enquanto estudo para o concurso (dia 3 está chegando!), o link veio a calhar…

Nerd Alert

Okay, I’m having a total geek attack.

Tonight I took a break from working on yet another research proposal to practice my violin, usually a fun but somewhat frustrating experience owing to the fact that I can no longer play even half of what I could in high school. Nevertheless, I like to make some noise with the old thing once in a while, to the probable annoyance of my neighbors. I was flipping through some piles of music that I hadn’t looked at in a long time, and I found the book of Star Wars music that I bought when I was probably in junior high. So naturally I had to play Star Wars music.

‘Cause that’s just the kind of nerd I am.

Mulheres otimistas e mulheres céticas

Assim como o futebol, o otimismo é uma espécie de fé religiosa, ou seja, confiança não científica e mesmo não empírica na sua sorte ou capacidade (ou nas do seu time). Existe uma experiência clássica onde pessoas normais e deprimidas se submetem a um teste de conhecimentos gerais. Pede-se em seguida para que elas avaliem o quanto foram bem. Os deprimidos acertam a sua pontuação (são realistas). Os “normais” superestimam seu desempenho consistentemente.

É conhecido que a população humana (especialmente a brasileira, em contraste com a portuguesa) possui tendências genéticas que favorecem o otimismo, e a explicação é evolucionariamente simples: otimistas têm mais filhos e portanto seu fitness biológico é maior.

Então fica um mistério para a biologia evolutiva (similar às tendências genéticas para o homossexualismo). Como explicar que ainda exista uma porcentagem considerável de realistas, pessimistas e deprimidos no mundo? Como se mantém essas tendências genéticas? Dizer que o mundo é deprimente não é resposta: o mundo é deprimente para vacas, porcos e galhinhas, mas eles nem estão aí…

Mulheres cínicas e pessimistas vivem menos, diz estudo

da BBC Brasil


Mulheres otimistas correm menos riscos de ter doenças cardíacas e vivem mais, de acordo com um estudo feito nos Estados Unidos.

Uma pesquisa anterior, feita por especialistas holandeses, já havia concluído que o otimismo reduz o risco de problemas cardíacos em homens.

Quase cem mil mulheres participaram do novo estudo, publicado na revista científica “Circulation”. A investigação concluiu que as pessimistas tendem a apresentar pressão mais alta e índices mais altos de colesterol.

Mesmo quando esses fatores foram levados em consideração – ou seja, comparando-se grupos de mulheres com pressão alta e altos índices de colesterol -, a diferença de atitude alterou significativamente os riscos entre otimistas e não otimistas.

Mulheres otimistas tiveram 9% menos chances de desenvolver problemas cardíacos e 14% menos chances de morrer por qualquer causa após oito anos de acompanhamento.

Em comparação, mulheres cínicas, que cultivam sentimentos hostis ou não confiam nos outros apresentaram 16% mais probabilidade de morrer dentro do mesmo período.

Uma possível explicação, segundo os pesquisadores, é que as otimistas talvez sejam mais capazes de enfrentar adversidades e de cuidar de si próprias quando ficam doentes.


Eu gostaria de fazer uma pesquisa estatística sobre a proporção de mulheres no movimento cético, pois me parece estranhamente pequena. Será que o movimento cético poderia ser explicado por um excesso de testoterona? Ops, esqueci, Roberto Takata disse que não existe movimento cético no Brasil. Bom, abaixo dou uma força:

Oi Osame,

O email abaixo me foi enviado por um dos meus alunos de mestrado (fez graduacao em matematica em Edinburgo, Escocia). Dado o inusitado do fato neste ambiente intelectual em que vivemos, que tal darmos uma forca para ele e organizarmos um workshop sobre a abordagem racional da existencia, nos seus diverss aspectos: sociedade, ecologia, etc.
Um abraco,
Roque

Antonio Roque
Departamento de Fisica e Matematica
FFCLRP, Universidade de Sao Paulo
14040-901 Ribeirao Preto, SP
Brasil

———- Original Message ———————————-
From: Andre Luzardo
Date: Wed, 05 Aug 2009 16:55:56 -0300

Ola Professor,

Eu venho tentando organizar um grupo ou sociedade de humanistas, racionalistas, ateus e agnosticos na USP, mas ateh agora tenho tido pouco sucesso. Como o senhor eh o presidente da comissao de cultura e extensao, pensei em lhe consultar pra saber se haveria possibilidade de promover algum evento, uma palestra de repente, ou mesmo apenas um espaco pra divulgacao do grupo. O website da lista de discussao eh http://br.groups.yahoo.com/group/racionalistasusp/, que por enquanto conta com o impressionante numero de TRES associados!

Qualquer ideia ou sugestao eh bem vinda.

Abraco,

Andre

Explicado aumento da gripe suína nos pampas

O aumento da gripe suína em nossos países vizinhos Argentina, Uruguai e Rio Grande do Sul (“o sul é meu país”) acaba de ser explicado: promiscuidade no chimarrão. Recomenda-se o prazer solitário para evitar a transmissão da doença. Cuidado aí, pessoal do Coletivo Ácido Cético

Medo da gripe suína afeta hábito de compartilhar chimarrão no RS

GRACILIANO ROCHA
da Agência Folha, Em Porto Alegre

O surgimento de casos da gripe suínafronteira com a Argentina sugerem o chimarrão solitário. pelo país vem afetando até o tradicional hábito de beber chimarrão em roda no Rio Grande do Sul. Em vez de grupos em que se compartilha água quente e erva-mate por uma mesma bomba, as autoridades de saúde de municípios da

A preocupação é que o vírus da influenza A (H1N1) encontre no canudo de metal um canal de transmissão, especialmente quando a água começa a esfriar. No Estado, há 106 casos confirmados da doença.

Em Itaqui (723 km de Porto Alegre), município na fronteira com a Argentina que decretou emergência mesmo sem ter casos confirmados, a prefeitura sugere em programas de rádio que as pessoas evitem oferecer a cuia para desconhecidos.

“Vamos todo dia nas rádios pedir que as pessoas mantenham os hábitos de higiene e evitem contato com outras pessoas, inclusive dividir a bomba”, disse a secretária de municipal de Saúde, Eliane Piffero.

Em São Gabriel (321 km de Porto Alegre), cidade com 38 casos confirmados que suspendeu nesta quinta-feira decreto de situação de emergência, a prefeitura até distribuiu panfletos recomendando evitar o mate em grupo.

Em Uruguaiana (635 km de Porto Alegre), a prefeitura foi mais comedida, mas isso não evitou que a roda de chimarrão passasse a ser evitada.


Chimarrão – A mulher e o chimarrão

gentileza de Bernardete Angela Manosso

Moça…

mui nova
é como cachaça: embebeda ou estraga o estômago

mui inteligente
é mate com bomba nova: custa-se acertar a embocadura e às vezes não se acerta nunca

loira
é mate de erva fraca: em seguida perde o gosto

do olho parado
é mate frio: tereré não resolve

desfrutável
é o primeiro mate: tome o mais que possa e cuspa fora, que os pintos logo aproveitam

criada mui solta
é mate de roda mui grande: na nossa vez a erva já está lavada

mui presa
é mate quente e entupido: quando desentope é um deus nos acuda, sai pelando os beiços

rechonchuda
é mate com cancerosa: bom pro sangue uma barbaridade

morena de olho reluzente
é mate enchido pela bomba: com água de pelar porco

Viúva nova, linda e rica
é mate com bolo frito: para o descanso não há nada igual

UM CONSELHO AÍ VAI
Ceve o mate da felicidade com uma chinoca recatada e dona de si, é mate com sabugueiro do campo: é bom prá tudo.