Home // Posts tagged "internet"

Islamismo com Twitter (I)

Me pareceu uma análise realista e intrigante:

Tecnologia da desinformação

Por Redação Link

Protestos contra vídeo sobre Maomé revelam que a fé do Oriente e os valores do Ocidente estão em conflito em uma praça pública global

Nathan Gardels, do Global Viewpoint*


“Esta praça pública global é o novo espaço de poder onde imagens competem e ideias são contestadas”. FOTO: Khalil Hamra/AP

Os fatos dos últimos dias no Oriente Médio são apenas um alerta para futuros distúrbios à medida que a democratização da mídia no Ocidente se depara com o despertar político no mundo árabe.

—-
• Siga o ‘Link’ no Twitter, no Facebook, no Google+ no Tumblr e no Instagram

Os hoje marginalizados jovens do Facebook podem ter iniciado a Primavera Árabe, que desencadeou – alguns diriam “libertou” – vozes contrárias ao Ocidente e que durante muito tempo foram caladas por autocratas brutais. Mas agora é a vez do YouTube agitar a região. O trailer de um filme chamado A Inocência dos Muçulmanos colocou a região em chamas à medida que o filme se propaga na internet.

Bem-vindo ao nosso novo mundo, onde ninguém pode ser controlado – nem o Ocidente controla sua mídia social, tampouco os dirigentes árabes têm controle dos seus cidadãos libertados. Uma combinação inflamável. Read more [+]

Vírus da gripe suína ajuda a espalhar vírus de computador


E-mail falso sobre gripe suína espalha vírus, alerta empresa de segurança

Publicidade

da France Presse

Piratas virtuais aproveitaram o interesse mundial pela gripe H1N1, conhecida como gripe suína, para criar e espalhar através de e-mails um vírus que dá acesso a informações confidenciais do computador, alertou nesta sexta-feira (11) a empresa de segurança em informática Pandasecurity.

A mensagem de e-mail afirma que a gripe suína é uma possível conspiração econômica dos grandes laboratórios farmacêuticos e anexa um documento que supostamente revela esse plano, mas que libera o perigoso vírus no sistema.

fonte: folha online

Luciana Rodrigues Vasconcellos
Serpsico: http://ser-psico.blogspot.com/
PS: Luciana, será que este e-mail não é um vírus-email falso, espalhado pela Folha Online?

A banda larga e a mente de José Serra

Para não dizer que eu não elogio o José Serra quando ele dá uma dentro.
Por falar em banda larga, eu acho que uma das campanhas mais criativas era aquela frase
“Toda banda larga será inútil se a mente for estreita”
ou seja, não adianta ter banda larga se for para ler a Veja Online.
Alguém sabe por que essa campanha da TIM saiu depressa do ar? Será que os anunciantes pensaram que isso podia agredir seus consumidores?

O Estado de S. Paulo
Acesso à internet rápida
Editorial
O Tesouro paulista não deverá perder receita tributária, as empresas operadoras de telecomunicações não perderão rentabilidade, mas 2,5 milhões de famílias poderão ter acesso ao serviço de internet de alta velocidade a preço bem mais baixo, por causa da isenção total do ICMS dos pacotes desse serviço, no valor de até R$ 29,80, decidida pelo governo do Estado de São Paulo.

Ao dar a famílias de baixa renda a oportunidade de utilizar o serviço de banda larga, ao qual não tinham acesso por causa de seu custo, essa medida mostra como um benefício tributário pode ser eficaz socialmente – e também economicamente, por levar informações e oferecer alternativas profissionais e comerciais mais rapidamente aos usuários -, sem prejudicar as finanças públicas e sem impor perdas às operadoras.

Além de isentar do ICMS os serviços de internet com velocidade mínima de 200 quilobits por segundo (Kbps) – quatro vezes mais rápida do que a conexão discada – e máxima de 1 megabits por segundo (Mbps), o decreto assinado pelo governador José Serra cria o programa Banda Larga Popular. O objetivo é atender as famílias que, possuindo computador, utilizam o acesso discado à internet ou não estão conectadas à rede mundial de computadores por causa do preço.

Segundo a mais recente Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) do IBGE, 31,4% dos lares paulistas têm acesso à internet de banda larga e 12,7% têm acesso discado à rede. Dos domicílios que dispõem de computador no Estado de São Paulo, mas não têm acesso à internet, nada menos do que 58% informaram que não podiam arcar com o custo do acesso à rede mundial de computadores.

A isenção do ICMS, cuja alíquota era de 25%, deverá reduzir em R$ 20 o custo da assinatura dos serviços na faixa de velocidade estabelecida pelo decreto do governo paulista, atualmente oferecidos pelas operadoras por cerca de R$ 50. O preço máximo estabelecido no decreto inclui o modem (aparelho que permite a conexão à web), a instalação e os serviços do provedor. A utilização é ilimitada e sem cotas, e a cobrança da assinatura será feita na conta telefônica.

O governo de São Paulo não prevê perda de receita com a isenção – autorizada em abril pelo Conselho Nacional de Política Fazendária, que aprovou a mesma medida para o Pará e o Distrito Federal. Não há expectativa quanto ao tamanho da renúncia fiscal, porque essa é uma receita que ainda não existe, explicou o governador José Serra. Com os serviços de banda larga já existentes, o governo espera arrecadar R$ 534 milhões em 2009. Essa receita não será afetada.

Na Carta do Guarujá que divulgou em agosto, a Associação Brasileira de Telecomunicações propôs a criação de um plano nacional de banda larga, tendo como meta chegar a 150 milhões de acessos à internet de alta velocidade em 2014. A primeira sugestão das operadoras para se alcançar esse número é a desoneração tributária dos serviços, investimentos e dispositivos. O decreto do governo de São Paulo atende em parte a essa reivindicação.

Da parte do usuário, a reivindicação é a garantia de qualidade dos serviços de acesso à internet. Para melhorar essa qualidade, a Anatel está preparando um novo regulamento, com regras para as empresas e direitos para os usuários. A garantia da oferta da velocidade contratada é um dos principais objetivos, como mostrou há dias, no Estado, a repórter Gerusa Marques.

A Anatel pretende também estabelecer regras de atendimento ao cliente, de solução de problemas, de cobrança e de cancelamento de contrato. As empresas deverão seguir um Plano Geral de Metas de Qualidade, com indicadores para aferir a quantidade de falhas nas tentativas de conexão e o número de quedas na conexão.

A diretoria da Anatel deve começar a discutir o projeto da nova regulamentação ainda este mês. Depois, ele será colocado em consulta pública e novamente analisado pela agência. A expectativa é de que a nova regulamentação entre em vigor no primeiro semestre de 2010. Para o usuário, quanto mais cedo, melhor.

Marian Silva e o Efeito Obama


Marina ponto com

A campanha de Marina Silva estreou na internet em abril deste ano. A grande mídia ainda nem sequer especulava se a ex-ministra sairia ou não do PT de Lula rumo ao PV de Fernando Gabeira, e seus seguidores já pediam voto.

Abrigada no Movimento Marina Silva Presidente (www.marinasilvapresidente.ning.com), a campanha passou a distribuir eletronicamente cartazes, logomarca, fotos, arte para ser impressa em camisetas e tudo o mais para colocar o bloco na rua em grande estilo, incluindo o jingle MahatMarina, de R. Arthur. No início de agosto, antes mesmo de Marina anunciar oficialmente sua saída do PT, já havia um cartaz com o V do Partido Verde. O Movimento virou uma grande rede social, na qual os participantes também podem criar seus próprios materiais de campanha e disponibilizá-los.

“Ela pode fazer campanha pela internet, porque a lei que regulamenta o assunto ainda não foi votada pelo Congresso Nacional. Só o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) poderia tirá-la do ar e, assim mesmo, não creio nesta possibilidade, porque o presidente do Tribunal já declarou ser favorável a dar o tratamento de território livre para a internet”, opinou Walter Costa Porto, ex-ministro do TSE e um dos maiores especialistas em legislação eleitoral. O Movimento Marina Silva Presidente já conta com 8 mil membros efetivos e um sem-número de simpatizantes. Grupos (ou tribos) lá instalados são 131.

Pela segunda vez em menos de um ano, o PV surpreende fazendo bom uso da internet. A primeira foi na campanha de Fernando Gabeira a prefeito do Rio de Janeiro, de excelente qualidade técnica. E isso acontece justamente no momento em que os políticos se recusaram a dar um tratamento digno à rede, tentando amordaçá-la no remendo de lei relatado pelo deputado federal Flávio Dino (PCdoB-MA). A qualidade do trabalho dos apoiadores de Marina se traduz em dois aspectos: o primeiro, é a agilidade na distribuição do material de campanha; o segundo, é a fidelização dos apoiadores, que podem participar e dar ideias, exatamente como fez a campanha vitoriosa de Barack Obama.

Esses dois aspectos, aliados à simplicidade e à boa navegabilidade do site, podem fazer a diferença em favor de Marina na conquista de novos eleitores. Uma militância espontânea, coisa cada vez mais rara hoje em dia e ainda mais com característica de rede, é ouro puro. Essa iniciativa já está sendo desdobrada no Twitter, no Orkut, no Facebook e em outras redes sociais, mantendo o nome da candidata em evidência.

A internet é um meio barato e eficiente de fazer campanha. Não é coisa de candidato rico, nem de candidato pobre. É coisa de candidato criativo, para dizer o mínimo. Um bom site não custa caro, e as redes sociais têm plataforma pronta, à espera de um bom conteúdo. Sem requerer orçamentos astronômicos ou gastos exorbitantes, a internet é desprezada por uma maioria de políticos acostumados ao “voto é dinheiro” e “eleição é negócio”.

A era da campanha de papel, que durante tanto tempo fez a felicidade do setor gráfico, está chegando ao fim. O Twitter e o SMS substituirão o velho santinho de guerra, e o YouTube movido a câmeras de celular vai obrigar as produtoras a reverem seus conceitos. A interatividade está tornando as campanhas permanentes. Entender isso significa sobrevivência, manutenção do poder. Dentro de, no máximo, uma década, só haverá voto.com.

Autor: Marcelo S. TognozziEnvie para um amigoImprimir

      Comparando o Bing com o Google (II)

      Procurando SEMCIÊNCIA no Bing (apenas os cinco primeiros resultados para não poluir a página):

      Comparando o Bing com o Google


      Imagem: Essa foto do ano 2000 está totalmente desatualizada (já me acusaram de propaganda enganosa), mas sinceramente não me animo a colocar fotos recentes antes de um tratamento para síndrome metabólica.

      Vou comparar o Bing com o Google. Num exercício narcisístico, busco “Osame Kinouchi” entre aspas e encontro 5.410 resultados no Bing e aproximadamente 71.100 no Google. Ponto para o Google.

      Vamos avaliar a qualidade do ranqueamento. As primeiros dez resultados do Bing são:

      • 0,441515 secs RAM: 17,6MB Included 130 files DB queries 225 ticks: 44 user: 28 sys: 2 cuser: 0 csys: 0 Load average: 0.56

      • Portal FFCLRP USP,FFCLRP,Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ribeirão Preto,USP

        • www.ffclrp.usp.br/docentes/fisicaematematica/​osamekinouchifilho.html
        • · Página em cache
      • Dados gerais: Indicadores de produção C, T & A Dados gerais Identificação do pesquisador: Nome: Osame Kinouchi Filho: PQ 2: Titulação: Doutorado

        • dgp.cnpq.br/buscaoperacional/detalhepesq.jsp?​pesq=0261381672145053
        • · Página em cache
      • SEMCIÊNCIA. Blog sobre (minha) vida científica + caderno de pesquisa e referências … posted by Osame Kinouchi | Segunda-feira, Julho 13, 2009 | 0 comments links to this post

      • Viewing profile :: Osame Kinouchi; Avatar: All about Osame Kinouchi: Auxiliar de Pesquisador

      • Osame Kinouchi Filho Bolsista de Produtividade em Pesquisa do CNPq – Nível 2. é bacharel em Física pelo Instituto de Física e Química de São Carlos – atual IFSC …

        • buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.jsp?​id=K4721357P3
        • · Página em cache
      • http://comciencias.blogspot.com/2008/03/o-poder-do-campo-mdio.html _____ OsameKinouchi – DFM – FFCLRP – USP SEMCIENCIA – www.comciencias.blogspot.com

      • Osame Kinouchi Fractais: Uma nova visão de natureza Fractais não são feitos de pontos, retas ou planos. São feitos de objetos intermediários entre essas coisas e não possuem …

      • Osame Kinouchi especula em Semciência: Minha hipótese evolucionária é: a peladice se deve a uma adaptação

      • Osame Kinouchi (University of São Paulo, Ribeirão Preto, SP, Brazil) Rodrigo Oliveira (Krasnow Institute, George Mason University, Fairfax, VA, USA)


        Já no caso do Google, temos:

        1. Currículo do Sistema de Currículos Lattes (Osame Kinouchi Filho)

          2002. 120 f. Tese (Doutorado em Física Aplicada À Medicina e Biologia) – Universidade de São Paulo, . Co-Orientador: Osame Kinouchi Filho.
          lattes.cnpq.br/0261381672145053 – Em cacheSimilares
        2. Osame Kinouchi Filho

          Nome, Osame Kinouchi Filho. Titulação, Professor Doutor. Telefone, +55-16-3602-3779. FAX, +55-16-3602-4887. E-mail, [email protected]
          www.ffclrp.usp.br/…/osamekinouchifilho.html – Em cacheSimilares
        3. SEMCIÊNCIA

          Osame Kinouchi. (Submitted on 14 Oct 2001). The sciences of complexity present some recurrent themes: the emergence of qualitatively new behaviors in
          www.comciencias.blogspot.com/ – Em cacheSimilares
        4. Osame Kinouchi Filho :: Blog

          Palavras-chave: nnpp. Postado por Osame Kinouchi Filho | 0 comentário · << style="font-weight: bold; font-style: normal; ">Osame Kinouchi Filho RSS. Físico Estatístico
          stoa.usp.br/osame/ – Em cacheSimilares
        5. Osame Kinouchi Filho

          Habilidades Principais. Inventar modelos simples e bonitinhos… Blog :: Osame KinouchiFilho Postado por Osame Kinouchi Filho | 0 comentário. Contatos
          stoa.usp.br/osame/profile/ – Em cacheSimilares
          Mais resultados de stoa.usp.br »
        6. Blogger: User Profile: Osame Kinouchi

          Osame Kinouchi. Age: 46; Gender: Male; Astrological Sign: Libra; Zodiac Year: Tiger; Industry: Science; Occupation: Físico; Location: Ribeirão Preto : São
          www.blogger.com/…/08477731040936154694 – Em cacheSimilares
        7. Blogs de Ciência » Osame Kinouchi

          10 Jun 2009 Osame Kinouchi @ SEMCIÊNCIA Categorias: Ciência Geral, computational neuroscience, dynamic range, dynamical systems, neuroscience
          divulgarciencia.com/author/osame-kinouchi/ – Em cacheSimilares
        8. Osame Kinouchi – FriendFeed

          Osame Kinouchi · 2 subscriptions · 1 subscriber · Osame Kinouchi · Blog. Subscribe toOsame Kinouchi, About 2 posts per day
          friendfeed.com/osame – Em cacheSimilares
        9. A Física por trás dos sentidos

          Osame Kinouchi complementa: “talvez nosso trabalho ajude a esclarecer a ProfessorOsame Kinouchi (Universidade de São Paulo, DFM-FFCLRP, Ribeirão Preto)
          www.ufpe.br/new/visualizar.php?id=3506 – Em cacheSimilares
        10. Pesquisador: Osame Kinouchi Filho

          Pesquisador(a) Osame Kinouchi Filho, Link para Currículo Lattes Nome: Osame Kinouchi Filho, PQ 2. Titulação: Doutorado. Currículo Lattes: 29/06/2009 14:
          dgp.cnpq.br/buscaoperacional/detalhepesq.jsp?… – Em cacheSimilares

          Eu daria uma leve vantagem para o Google, por ter colocado o Currículo Lattes, a página da FFCLR e o SEMCIÊNCIA no início. Existe um overlap de 50% entre as dez primeiras entradas, o que parece razoável. Seria interessante se houvesse um jeito automático de medir essa correlação em função do número de páginas ranqueadas.

          Quanto ao número de imagens, o Google encontrou 633 e o Bing apenas 20.


      Vergonha da Wikipédia em Português

      Como todo mundo sabe (menos os desavisados), a Wikipédia é a principal fonte de consulta de nossos estudantes de ensino fundamental e médio. Mas compare esses dois artigos da Wikipédia:

      Bósons W e Z

      Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

      Ir para: navegação, pesquisa

      Na física de partículas, bósons W e Z são as partículas (mais especificamente, bósons) mediadoras da força nuclear fraca. Sua descoberta no CERN em 1983 foi um dos grandes sucessos do Modelo Padrão. O bóson W foi nomeado por causa do “W” de “Weak nuclear force“.

      O bóson Z recebeu a última letra do alfabeto porque humoristicamente seria a última partícula a ser descoberta. Também “Z” é a inicial de “zero”, a carga que o bósons possui, em contraposição aos seus parceiros Ws que são carregados.

      O artigo em português acaba nesse ponto.

      W and Z bosons

      The W and Z bosons are the elementary particles that mediate the weak force. Their discovery has been heralded as a major success for the Standard Model of particle physics.

      The W particle is named after the weak nuclear force. The Z particle was semi-humorously given its name because it was said to be the last particle to need discovery.[citation needed] Another explanation is that the Z particle derives its name from having zero electric charge.[citation needed]

      O artigo em inglês continua por páginas:

      Contents

      [hide]

      Que vergonha, não é mesmo?

      Eu gostaria de realizar um projeto na forma de uma rede de grupos de diversas especialidades, que simplesmente fariam a tradução das páginas da wiki inglesa de forma a complementar as páginas em português.

      Poderíamos começar pela física e biologia. Cada grupo arranja dois alunos de IC com proficiência em inglês, que usariam o Google translator para dar uma primeira versão, e um especialista dá uma garibada final.

      Será que o CNPq financia? Fica lançada a idéia, se alguém topar entrar no projeto, entre em contato até o final de julho…

      Ruth de Aquino na Wikipédia

      OK, OK, é claro que eu não ia resistir… Nossas Antenas foram inventadas por cientistas que faziam pesquisas ridículas e inverossímeis em eletromagnetismo, apresentadas como brincadeiras de salão no século XIX.
      Para aqueles que querem ter uma idéia dos critérios de edição e de como se decide o que manter na Wikipédia, ver a discussão abaixo:
      Esplanada/Geral – páginas para se eliminar

      Peço a atenção da comunidade para o seguinte artigo: Época (revista) ao qual foi adicionada uma seção sem relevância enciclopédica. Deixei por lá um comentário, mas por se tratar de página pouco consultada, temo que ninguém venha a lê-lo. Peço encarecidamente à comunidade da wikipédia que avalie a relevância da seção Época (revista)#A polêmica de Ruth de Aquino com jornalistas e divulgadores de ciência com a finalidade de removê-la o mais rápido possível pelos seguintes motivos:

      1. Falta de relevância enciclopédica;
      2. Falta de fontes fiáveis;
      3. Parcialidade e uso de “weasel words”.
      4. Uso para divulgação de blogs (na verdade já removi o link que apontava para um blog por considerar uma forma de “spam”).

      Obrigado,

      189.61.82.125 (discussão) 04h00min de 27 de março de 2009 (UTC)

      Retirei tudo, justifiquei na aba do histórico, quem quiser que reponha. MachoCarioca oi 05h52min de 27 de março de 2009 (UTC)

      Quem quizer que reponha droga nenhuma. Pra repor tem que apresentar fontes “fiáveis”. De quem, é que me pergunto. Dos Civita? Dos Frias? Dos Marinhos? Da imprensa do único pais cujo presidente da mais alta corte dá dois habeas corpus ao maior bandido em menos de uma dia, se confia em quem? Na imprensa? Até mesmo a Roda agora é Morta. Fulcanelli msg 06h26min de 27 de março de 2009 (UTC)

      PS (© MC): É mesmo morta o Neves

      A intenção do autor foi expor dois casos em que a revista se meteu em polêmicas. O texto não é tendencioso porque apresenta a crítica da editora da revista e a réplica dos cientistas. Faltaram as referências, isso sim. Tempus (discussão) 07h34min de 27 de março de 2009 (UTC)

      Pois é meu caro, o autor do texto na wikipédia, o autor da reversão ou o autor da reportagem na revista? Ainda que fossem dadas referências, acreditaria? Um texto se torna imparcial apenas por se dar o mesmo equilíbrio nas vozes dissonantes? Há que se ser imparcial no Holocausto, p. ex., dar o direito dos Nazistas se explicarem? Referência e Imparcialidade aqui só não são mais desacreditadas porque – pecado máximo que Dante não estipulou círculo – um administrador masturbou-se com um sock ilícito. Fulcanelli msg 07h49min de 27 de março de 2009 (UTC)

      Como a revista é Época, que se dê Tempus ao tempo 🙂 Namastê. Fulcanelli msg 07h57min de 27 de março de 2009 (UTC)

      Texto parcial é aquele que toma partido. O autor do artigo não tomou partido, apenas citou o texto que gerou a controvérsia e a refutação dos interessados. O Holocausto não está acima de qualquer crítica, quem tiver um estudo sério sobre a realidade dos campos de concentração deve publicá-lo sem sofrer censura. Se não havia câmaras de gás, que se prove isso com documentos. Tempus (discussão) 08h09min de 27 de março de 2009 (UTC)

      O proprio autor da seção retirada concordou com a retirada e criou o artigo Ruth de Aquino, colocando aquela seção dentro dele, muito mais pertinente. A quesrão ali nem se trata de referencias ou imparcialidade, mas de estilo do verbete mesmo. E o Gunnex retirou tbém do artigo da Ruth marcando VDA.MachoCarioca oi 08h14min de 27 de março de 2009 (UTC)

      [editar]

      Ainda no mesmo assunto, propus a eliminação da página, já que a jornalista em questão não apresenta relevância suficiente para constar numa enciclopédia e foi incluida apenas por causa de um conflito entre ela e o autor do artigo. Retirados os dados sobre o conflito, o artigo não faz mais sentido de existir. Página de eliminação em Wikipedia:Páginas para eliminar/Ruth de Aquino.

      Obrigado, —189.6.107.167 (discussão) 13h29min de 27 de março de 2009 (UTC)

      P.S.: Não sou de forma nenhuma afiliada à jornalista ou revista em questão. Apenas acho que a wikipédia não deve ser usada para divulgar conflitos entre autores de blogs.

      Minha cara, também acho que a Ruth de Aquino e 90% dos jornalistas presentes na Wikipedia não tem nem de longe relevancia para constar como verbete em uma enciclopedia, pois são apenas profissionais fazendo o seu trabalho ( e alguns deles, mal). Entretanto, num lugar onde não se consegue eliminar aritigos sobre exbbbs, e prostitutas que escreveram um livro, porque elas tem fã-clube enciclopedico, acho que a Ruth é um luminar de relevancia. Sds MachoCarioca oi 13h35min de 27 de março de 2009 (UTC)

      Respeito sua opinião, mas acredito que um erro não deve justificar o outro. O fato de celebridades efêmeras terem fã clubes na wikipédia não justifica que se mantenha uma página criada por conflitos de egos. Enfim, minha opinião.
      189.6.107.167 (discussão) 13h56min de 27 de março de 2009 (UTC)

      O que sobrou no artigo dela não é um ‘conflito de egos’. a intenção com que foi feito, não importa, o que importa é o resultado. Uma micro biografia normal como tantas. De uma jornalista enciclopedicamente irrelevante mas como centenas que existem aqui, não vejo problema. Aproveita e se registra pra ajudar a votar na eliminação das bbbzetes na proxima rs MachoCarioca oi 14h00min de 27 de março de 2009 (UTC)

      • Hmmm…seilá por que essa discussão toda tem um cheiro de censuuura… Gerbilo :< 19h41min de 27 de março de 2009 (UTC)
      Eu acredito que o arquivo não deva ser retirado, porém, acredito que esta enciclopédia embora “livre”, não seja lugar para estes conflitos, eles não contém conteudo enciclopédico.100% matemática (discussão) 00h09min de 29 de março de 2009 (UTC)

      Prezados, antes de blogueiro sou cientista profissional da USP e coordenador do Laboratório de Divulgação Científica da FFCLRP-USP. Não tenho muita familiaridade com a wikipedia e seus criterios e assim peço desculpas por qualquer inconveniente. Entretanto discordo com a retirada da seção sobre a polêmica entre Ruth de Aquino e a comunidade de blogs científicos do Brasil (os blogueiros dessa comunidade são jornalistas cientificos, cientistas e pós-graduandos em ciências). Embora seja uma guerra de egos (na medida que os cientistas se sentiram ofendidos enquanto que a jornalista continua afirmando que quem a está criticando é porque não sabe português nem interpretação de texto), acredito que não seja apenas “uma guerra de egos” , mas sim um evento potencialmente importante (embora pequeno) que sinaliza as novas possibilidades de conflito e cooperação no jornalismo 2.0 onde colunistas recebem críticas extensivas em suas janelas de comentários e comunidades de blogueiros podem checar as informações com profundidade. Por exemplo,

      Roberto Takata do blog Gene Reporter entrevistou dois dos cientistas estrangeiros criticados por Ruth de Aquino como tendo feito pesquisas irrelevantes ou preconceituosas que, na opinião dela, não deveriam receber subsídios governamentais. Tais pesquisadores estrangeiros de alto gabarito e cujas pesquisas foram publicadas em ótimas revistas científicas com peer review responderam a Takata, traçando comentários sobre a questão do jornalismo científico sensacionalista e explicando em detalhe a motivação e as aplicações concretas de suas pesquisas, ver as respostas de Paul Gregg e Susan Fiske.

      Além disso, foi pedido à Sociedade Brasileira de Física e seus associados, e outras sociedades científicas, para se manifestarem. Novos desdobramentos estão a vista nos próximos dias e a página da Wiki seria um site de centralização de informação sobre este (pequeno mas significativo) affair jornalístico. Infelizmente, embora a coluna da editora-chefe tenha sido a segunda ou terceira mais comentada da semana, com 98% de comentários negativos, e várias cartas tenham sido enviadas para o espaço do Leitor na revista impressa (não por mim, enfatizo), nem uma única linha saiu na revista na semana seguinte. Do mesmo modo, dois amigos blogueiros cientificos que são jornalistas das organizações Globo se vêem impedidos de tecer qualquer comentário sobre o episódio (a favor ou contra Ruth de Aquino!), visto que isso põe em risco seus empregos.

      Minha proposta é que seja mantida a página bio de Ruth de Aquino assim como está (talvez melhorando as referências) uma vez que outros colunistas e jornalistas menos relevantes que ela (da mesma revista Época!) também possuem páginas bio na wiki. Mais tarde, quando a poeira baixar, se avaliado que o affair entre a jornalista e a comunidade científica realmente adquiriu relevância enciclopédica, então uma PEQUENA seção sobre o affair, com links para as fontes relevantes, seja colocado. E eu sinceramente espero, torço e acredito que a Wiki não possua entre seus editores, jornalistas da Globo de plantão cujo único trabalho seja o de relações públicas, mantendo biografias expurgadas do falecido Roberto Marinho e de seus atuais funcionários. Lembremos que crítica de leitor (ou mesmo blogueiro) não constitui censura. Quem censura é apenas quem tem o poder (econômico, midiático) de censurar… 189.5.205.221 (discussão) 11h24min de 31 de março de 2009 (UTC)

      O que é a Wikipédia?


      Por incrível que pareça, muita gente não possui uma idéia exata sobre o que é a Wikipédia. É comum se expressarem dúvidas e críticas que já foram amplamente debatidas e respondidas há anos atrás. Para contribuir para um maior esclarecimento (e deixar Ruth de Aquino em paz!) , começo esta série de posts sobre a nova Enciclopédia do século XXI, que talvez venha a desempenhar um papel social até maior que a Enciclopédia de D´Alembert e Diderot.

      É claro que a qualidade da Wikipédia lusófona está anos-luz atrás da inglesa, mas imagino que isso se deve à preguiça, ceticismo e descrença de portugueses e brasileiros, não é mesmo? Será que nunca faremos um mea culpa?
      Entretanto, a Wikipédia provavelmente é a principal fonte de informação para trabalhos escolares no Brasil, atualmente. Qualquer estudante pode ir em uma lan house na sua cidadezinha (se tiver escola, a cidade deve ter lan house também!) e acessar a Wiki. Que tal se em um esforço coletivo, todos náo brasileiros e portugueses déssemos nossa contribuição (em dinheiro, tempo e conhecimento) para essa grande fonte de educação coletiva e barata que é a Wikipédia? Afinal, se você encontrar alguma informação errada em um artigo da Wiki, basta você editar e consertar!

      Wikipédia[3] é uma enciclopédia multilíngüe online livre colaborativa, ou seja, escrita internacionalmente por várias pessoas comuns de diversas regiões do mundo, todas elas voluntárias. Por ser livre, entende-se que qualquer artigo dessa obra pode ser transcrito, modificado e ampliado, desde que preservados os direitos de cópia e modificações, visto que o conteúdo da Wikipédia está sob a licença GNU/FDL (ou GFDL).

      Criada em 15 de Janeiro de 2001, baseia-se no sistema wiki (do havaiano wiki-wiki = “rápido”, “veloz”, “célere”).

      O modelo wiki é uma rede de páginas web contendo as mais diversas informações, que podem ser modificadas e ampliadas por qualquer pessoa através denavegadores comuns, tais como o Internet ExplorerMozilla FirefoxNetscapeOperaSafari, ou outro qualquer programa capaz de ler páginas em HTML e imagens. Este é o fator que distingue a Wikipédia de todas as outras enciclopédias: qualquer pessoa com o acesso à Internet pode modificar qualquer artigo, e cada leitor é potencial colaborador do projeto.

      A enciclopédia sem fins lucrativos, é gerida e operada pela Wikimedia Foundation. Ela está disponível em 257 idiomas ou dialetos[1] com um total de 7,5 milhões de artigos[4], dos quais 2,1 milhões de artigos são referentes à versão em língua inglesa (dados de 11 de Dezembro de 2007)[5] e 469 151 artigos na versão em língua portuguesa (dados de 31 de março de 2009). O número total de páginas ronda os 24 milhões e inclui imagens, páginas de usuários, páginas de discussão, categorias, predefinições, páginas de gestão dos projectos, etc. A versão alemã distribui-se também em DVD-ROM. Propõem-se, ainda, as idéias na versão anglófona, além de uma edição impressa.

      Desde seu início, a Wikipédia tem aumentado firmemente sua popularidade[6], e seu sucesso tem feito surgir outros projetos irmãos. Segundo o Alexa, a wikipédia está entre os quinze websites mais visitados no mundo[7]. A popularidade também deve-se ao fato de muitas das páginas terem sido ou copiadas ou “forkiadas“. Nas palavras do co-fundador Jimmy Wales, a Wikipédia é “um esforço para criar e distribuir uma enciclopédia livre e em diversos idiomas da mais elevada qualidade possível a cada pessoa do planeta, em sua própria língua”.[8]

      Contudo, o fato de qualquer um, especialista ou não, poder editar o conteúdo da Wikipédia, tem gerado controvérsias. Algumas revistas e/ou enciclopédias rivais, tais como Encarta e Encyclopædia Britannica, têm criticado os artigos contidos na Wikipédia, que afirmam serem abordados de tal forma que condigam com a opinião da maioria e não com os fatos.

      Tese de Ruth de Aquino: Ética versus a necessidade de vender (notícias)

      Será que a Ruth escolheu a Tabloidization da Época em vez da ética jornalística?

      Isso é muito divertido, mas espero não ser processado…

      Bio for Ruth de Aquino

      Ruth de Aquino, journalist, 46, two sons, born in Rio de Janeiro

      MsC in Media, London School of Economics.

      Thesis: Ethics versus the need to sell or the Tabloidization of the British press (93/94)
      President of the World Editors Forum, nominated in Zurich, 1999
      Since 1974 working with news for magazine, radio, newspaper, media organization.
      As reporter, BBC radio news editor, foreign editor in Rio, Formula-1 correspondent, London correspondent, chief-editor and director for multimedia for a regional paper in Rio. Now, foreign correspondent based in Paris.

      Recent speeches in international congresses:-
      2001 – Trends, concerns and challenges of the world’s newsrooms
      University of South Carolina, US – March
      Barcelona – May
      2000 – How to survive in a free-information world – Stockholm
      Innovation and Creativity – World Economic Forum in Rio
      1999 – Content and Qualification – Zurich
      How to attract women readers – Budapest

      Articles written recently:

      The new Information Party

      Satisfy the appetite of the news digital consumer (Hummmmmmmmmm!)

      Lan houses nas Escolas

      Isso parece uma boa ideia: pegar um modelo que já funciona entre os adolescentes e adaptar…

      Agencia Estado – 4/2/2009 10:22

      SP abre vaga para estagiários em ‘lan houses’ de escolas

      A Secretaria da Educação do Estado de São Paulo vai abrir concurso para a contratação de 840 estagiários para o Acessa Escola, programa que transforma as salas de informática de escolas estaduais em espécies de “lan houses”, abertas durante todo o período de aulas. De acordo com a secretaria, as vagas são destinadas às cidades de Bragança Paulista (129), Itu (144), Jacareí (132), Jundiaí (192), São Roque (81) e Sorocaba (162). As inscrições terão início no próximo dia 26 e terminarão em 16 de março. Podem participar do concurso estudantes de 1º e 2º ano de Ensino Médio de escolas estaduais nestas regiões.

      O salário é de R$ 340, mais auxílio para transporte, por jornada de quatro horas diárias (sempre no turno inverso aos estudos). A primeira fase do Acessa Escola atendeu escolas da capital e Grande São Paulo – agora o projeto começa a ganhar o interior e o litoral de São Paulo. Além de ser aluno do Ensino Médio da rede estadual, o candidato deve ter 16 anos completos até a data da contratação. A seleção será por intermédio de prova objetiva, avaliando raciocínio lógico e familiaridade com informática.
      Foto: Primeira Lan House que se tem notícia.

      Mesas Redondas continuam a ser visitadas!


      A figura de cima se refere à Mesa Redonda sobre o Vestibular (3286 visitas). A figura de baixo mostra o tráfego na Mesa Redonda sobre as Bolsas de Produtividade do CNPq (429 visitas). Links para essas Mesas Redondas estão aí na barra lateral.
      Acho que estes gráficos mostram a real diferença entre uma mesa redonda ao vivo e uma mesa redonda na Internet: a permanência, devida a buscas no Google, suponho.

      Orkut estará em São Carlos

      Odemir Bruno, do ICMSC, me mandou o seguinte e-mail:

      Olá Osame, tudo bem? Lembro que você estava interessado em orkut e redes de relacionamento. Acho que iria achar esta palestra aqui no ICMC bem interessante.

      []s

      Odemir Bruno

      Título: Quem você conheçe – A revolução da Social Network

      Palestrante: Orkut Buyukkokten, Engenheiro de Software do Google

      Data: 05 de abril de 2007 Horário: 11 horas Local: Auditório Prof. Luiz Antonio Fávaro

      Inscrições: enviar mensagem para [email protected]

      Resumo: As networks sociais mudaram fundamentalmente a maneira como nos conectamos. As pessoas que cruzam nossa trajetória tem grande influência em nossas vidas. Atualmente, é mais fácil cruzar caminhos pois estamos mais conectados. As possibilidades são infinitas. Nesta conversa com Orkut Buyukkokten, ele irá falar sobre a motivação por trás do desenvolvimento do orkut.com, com enfoque nos aspectos sociais e técnicos para manter um sistema que possui mais de 40 milhões de usuários. Orkut Buyukkokten é engenheiro de software e gerente de produtos do Google. Ele concluiu seu PhD em Ciência da Computação pela universidade de Stanford em 2002. Nos últimos seis anos, Orkut vem trabalhando na área de construção e funcionamento de comunidades online. Seus interesses incluem redes de network, interface design e mobile applications.